Carros elétricos já são  uma realidade no mundo inteiro e vão ocupar cada vez mais espaço.

Assim como autonomias cada vez maiores e tempos de carregamento cada vez menores

Mas, e se um elétrico  ficar totalmente  sem carga  nas baterias?

E se nesse caso não houver a possibilidade  de recarrega-la imediatamente?

Podemos rebocar?  Fazer “chupeta”?  Fazer pegar no tranco?

A resposta categórica  é NÃO. Caso contrário todo o sistema motriz pode ser comprometido.

O principal motivo é a  alta na posição NEUTRO  no câmbio, como nos  carros a combustão

Num tração traseira,  por exemplo, as rodas dianteiras normalmente tem freios regenerativos conectados ao sistema.

Rebocá-lo, pode ter um alto risco de danificar o sistema, custando bem mais caro que o socorro.

Nos elétricos, o NEUTRO desconecta os freios,  e permite que o carro  seja colocado em plataforma de transporte.

Já na famosa “chupeta”,  o sistema elétrico é totalmente diferente de  um carro a combustão.

Então, não adianta ligar pedindo socorro para o amigo mais próximo, pedindo os cabos.

Pela complexidade  dos carregadores para elétricos, nem mesmo as companhias de seguro tem o equipamento no sistema de socorro.

Apenas no Reino Unido,  a empresa RAV está desenvolvendo um  sistema de salvamento  para esses casos.

Será a "chupeta" do futuro, que vai garantir a segurança do processo.

O sistema EV Boost usa um motor a diesel e um gerador para alimentar um carregador específico para os elétricos.

"Ao adicionar uma unidade EVRESCUE a uma van RAC totalmente equipada, um veículo elétrico encalhado não precisará mais ser recuperado após ficar sem energia, pois simplesmente seremos capazes de dar ao veículo uma carga rápida para fazê-lo funcionar novamente" Tim Hartles - RAC

Por enquanto esse é o único sistema capaz de fazer a “chupeta” de forma segura em um elétrico.

Sendo assim, a ÚNICA solução segura para o salvamento de um elétrico sem carga é o uso de plataforma de transporte