5 Vezes que a Ferrari processou clientes

A Ferrari não gosta muito que alterem seus carros e já processou várias pessoas ao longo do tempo por terem alterado os carros da marca após a compra. Vamos te mostrar 5 casos em que a Ferrari decidiu processar as pessoas devido as alterações que elas fizeram em seus carros.

Mansory 4XX Siracusa

A Ferrari criou um hipercarro em 2014 e divulgou fotos do novo modelo. O FXX K foi divulgado antes que sua produção começasse. A Mansory Design, que é uma empresa alemã especializada em tuning, criou um Body Kit para a 488 GTB que foi inspirado na FXX. O Kit fez com que os carros ficassem bem parecidos e a empresa alemã começou a vender o Body Kit em 2016. A Ferrari nem um pouco satisfeita com a ação da empresa de tuning, resolveu processar a empresa. O processo correu até 2021 e a Ferrari ganhou.

Ferrari 458 Itália DeadMau5

O caso aconteceu em 2014, quando o DJ Joel Thomas Zimmerman, mais conhecido como DeadMau5 decidiu personalizar a sua Ferrari 458 Itália com o tema inspirado no meme do gato Nyan. Foram colocados tapetes, emblemas e placas do carro personalizadas e um envelopamento no carro todo, mas o que deixou a Ferrari ofendida, foi a alteração do nome da marca, os emblemas e placas do carro estavam com o nome “Purrari”. A Ferrari entrou com o processo e o DJ foi forçado a retirar o envelopamento e emblemas do carro.

Jean Beurlys Blaton

O piloto bilionário Jean ‘Beurlys’ Blaton comprou sua Ferrari F40 IMSA LM e decidiu alterar algumas características do carro. Ele cortou o teto da Ferrari e colocou um Santo Antônio de aço tubular. Além disso, ele ainda adicionou suspensão Coilover pushrod e fez com que o escapamento terminasse antes de chegar nas rodas traseiras. Desapontada, a marca enviou um comunicado para que Jean tirasse todos os emblemas da Ferrari do carro e não fosse mais em dias oficiais de corrida da Ferrari.

Fundação Puro-sangue

A fundação Purosangue é uma instituição de caridade que promove a preparação física e a saúde. A Ferrari processou a Fundação por querer usar o nome Purosangue ou em italiano Puro-sangue como nome de seu SUV. A fundação tentou recorrer legalmente para que o nome não fosse usado na Europa e a Ferrari alegou que a Fundação não teria utilizado comercialmente o nome “Purosangue” desde que foi criada, em 2013. A Ferrari ganhou o processo contra a instituição de caridade.

Phillip Plein

Phillip Plein O estilista alemão Phillip Plein decidiu tirar fotos de seus produtos junto com a sua Ferrari 812 Superfast, mas isso não foi uma boa ideia. As fotos para promover os produtos utilizavam a Ferrari apenas no fundo, mas a Ferrari não gostou muito, pois alegaram que eram fotos promocionais e processou o estilista. Mais uma vez, a Ferrari ganhou o processo e o estilista teve que indenizar a marca no valor total de 325.000 Euros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.