Motor Bugatti de 18 cilindros
Motor Bugatti de 18 cilindros

O motor Bugatti de 18 cilindros e 72 válvulas foi uma obra de arte complexa construída para um carro conceito de números superlativos. Depois do famoso Bugatti EB110, que era uma homenagem aos 110 anos do fundador da montadora, Ettori Bugatti, as coisas ficaram complicadas para a empresa, culminando no encerramento das operações em 1995.

O renascimento e reestruturação veio pelas mãos da Volkswagen em 1998, e o primeiro produto a ser apresentado foi apenas em 2005 com o lançamento do Veyron. Mas ele trazia elementos de design de outro carro, um conceito apresentado em 1998 no Salão de Paris, o EB118.

Esse monstro luxuoso tem seus traços assinados pelo estúdio Italdesign Guigiaro e inspiração no Bugatti Type 57 Atlantic, tendo linhas limpas e fluidas. Herdou as dimensões externas exageradas, com mais de 5 metros de comprimento, quase dois de largura e apenas menos de um metro e meio de altura. A carroceria é toda em alumínio e a suspensão é multilink.

Mas a grande estrela do carro conceito é o motor Bugatti de 18 cilindros. É um inédito motor de 18 cilindros em W com três bancadas de seis cilindros cada, com 60 graus de ângulo entre elas e compartilhando o mesmo virabrequim. A injeção direta de combustível era uma novidade na época.

São três cabeçotes e um deles trabalha da horizontal, totalizando 72 válvulas. Porém, os componentes do projeto são de motores convencionais de carros do Volkswagen de época como injetores, pistões e válvulas. Os cilindros, por exemplo, são os mesmos de um motor 1,2 litro. Cada uma das 3 bancadas de cilindros tem sua central eletrônica, que são comandadas por outra centralina mestra.

Pesando 316kg, o motor entrega 555cv a 6800rpm e 66,2kgfm de torque a 4000rpm, o que leva o carro aos 100km/h em apenas 5 segundos usando um câmbio automático de 5 velocidades e com máxima é superior aos 300km/h.

Entretanto, o motor Bugatti de 18 cilindros nunca foi usado em um modelo de produção em série, por motivos técnicos e pelo altíssimo custo para adequar o projeto. Um dos maiores problemas foi o posicionamento correto dos três coletores de admissão e  os três de escape de forma eficiente.

Siga-nos no Facebook e Instagram para ficar por dentro das novidades do mundo automotivo.

Publicidade

Deixe uma resposta