Empresa do navio que pegou fogo proíbe EVs

No início deste ano, o mundo inteiro acompanhou o caso do navio que pegou fogo enquanto estava no meio do oceano. Este navio não estava transportando qualquer carga, pois era uma carga muito cara. A bordo do navio havia cerca de 4.000 carros de luxo, entre eles tinha Audi, Porsche, Lamborghini e Bentley. Para ter uma noção do prejuízo, o navio transportava inclusive unidades da Série final do Lamborghini Avetador.

Navio que pegou fogo com carros de luxo a bordo – Entenda o caso

O navio Felicity Ace ficou em chamas e a deriva no oceano atlântico por dias, diante de todo o planeta. O incêndio durou tanto por ter sido causado pelo lítio das baterias de algum dos carros elétricos que estavam na embarcação. A Mitsui OSK Lines (MOL), empresa que opera o navio envolvido no incidente, declarou que não irá mais transportar elétricos usados.

Empresa que opera navio que pegou fogo proíbe EVs
Empresa que opera navio que pegou fogo proíbe EVs

A MOL é uma das maiores empresas especializadas no transporte marítimo de carros no mundo. Segundo a firma de advocacia Vinson & Elkins, esse incêndio foi o maior prejuízo no ramo, cotado em US$ 500 milhões (cerca de R$ 2,3 bilhões).

Um porta-voz da MOL comentou com o portal Splash sobre essa decisão da empresa. A empresa diz que o transporte de carros elétricos aumentou nos últimos anos e isso os obrigou a rever os protocolos de segurança. Outras transportadoras tomaram decisões parecidas.

Quando uma bateria de lítio se incendeia, a temperatura pode chegar a 2.700 graus célsius. A tática para apagar esse fogo é diferente, os sistema de supressão de fogo nos navios atuais não são capazes de controlar um incêndio desses. As técnicas conhecidas para o controle desse tipo de incêndio ainda não são práticas para serem aplicados em locais de espaço limitado.

Fonte: AutoPapo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.